7 maneiras pelas quais o coronavírus mudará como projetamos, decoramos e vivemos em nossas casas


O lar não é mais apenas um lugar para descansar a cabeça. Desde o início do surto de coronavírus em 2020, nossas casas passaram a ter escritórios improvisados, academias, salas de aula, restaurantes, bares, locais de shows, cinemas e muito mais. Com tantas atividades acontecendo sob o mesmo teto todos os dias, pequenos apartamentos e grandes casas tiveram que se adaptar para incorporar novas funcionalidades, e a maneira como olhamos para esses espaços também está mudando. Agora, mais do que nunca, estamos descobrindo o verdadeiro significado de nossas casas: um lugar onde queremos nos sentir confortáveis, seguros e inspirados. Há tanta coisa desconhecida lá fora agora que não podemos controlar, mas nossas casas são um espaço onde temos controle sobre o que colocamos nela, como organizamos e como isso nos faz sentir.

Mas essa mudança na maneira como vemos e interagimos com nossos espaços interiores pode durar muito tempo após a atual crise de saúde. "Não está claro se as pessoas passarão mais tempo em casa depois da pandemia, mas é claro que o estresse coletivo causou impacto", diz a designer e incorporadora imobiliária Amalia Graziani.  Aqui estão algumas maneiras pelas quais os especialistas em design prevêem que o design de interiores mudará após o coronavírus.

  1. Espaços maiores de escritórios domésticos

Para muitos, as novas políticas de trabalho em casa exigiam que salas de estar, quartos de hóspedes, porões e até pequenos quartos na lavanderia funcionassem repentinamente como escritórios domésticos improvisados. No futuro, os proprietários poderão estar mais interessados em escritórios domésticos maiores e mais definidos, em oposição a configurações temporárias de mesa, especialmente porque alguns empregadores permitem o trabalho remoto permanentemente. O serviço online de design de interiores Modsy, por exemplo, teve um aumento de 40% nas solicitações de design de home office em abril de 2020 em comparação com o mesmo mês do ano passado. Para aqueles que moram em espaços menores, peças multifuncionais, como mesas suspensas ou móveis de escritório elegantes que funcionam como decoração, podem ajudar a misturar uma estação de trabalho em outra sala de maneira mais integrada.

  1. Hall de entradas definidos

Como os pedidos de ficar em casa limitavam nossas saídas apenas para supermercados e outros extremamente essenciais, tornamo-nos mais conscientes dos germes que poderíamos potencialmente trazer para nossas casas. As entradas se tornaram o local para remover máscaras faciais e colocar itens que entraram em contato com superfícies germinativas antes de lavar as mãos. O arquiteto de interiores Sybille Zimmermann, de Los Angeles, prevê que esses novos hábitos levaram ao ressurgimento de hall de entrada pequenos espaços que antecedem os outros cômodos principais das casas, muito comum na Europa e algumas cidades dos Estados Unidos ou pontos de entrada alternativos. "Um local para remover sapatos, jaquetas ou sacolas ajuda a mitigar a entrada de germes e bactérias na casa", diz ela.


  1. Espaços Privados

Para as famílias que se isolam juntas, mais tempo sob o mesmo teto destacou a necessidade de espaços privados, onde cada pessoa pode desfrutar de algum tempo sozinho. Estar espalhado o dia todo e depois se reunir ao redor da mesa de jantar parece um padrão do passado. Em vez disso, as famílias estão se esforçando para criar espaços semi-privados em torno da casa para manter a produtividade (e a sanidade!).  Além de escritórios domésticos mais formais, esse foco renovado na privacidade pode resultar em quartos separados para crianças, cantos de leitura designados e layouts de casas com espaços distintos, em vez de plantas em conceito aberto. 

  1. Cozinhas cuidadosamente projetadas

Experimentar receitas tornou-se um novo hobby favorito para muitos “Quarentener´s”, o que causou um novo interesse na organização e no design da cozinha. A frequência de cozinhar e como compramos mantimentos forçaram as pessoas a repensar como organizam e armazenam alimentos. Estamos reavaliando como maximizar a eficiência da  com todo o seu uso extra. Espere ver uma organização mais democrática  na cozinha onde todos possam encontrar com facilidades os ingredientes, despensas maiores e utensílios especiais, como máquinas de pão e máquinas de café mais sofisticadas, que ajudam chefs amadores a obter resultados em estilo de restaurante em casa.

  1. Superfícies higiênicas

No futuro, cozinhas, banheiros e outras áreas de alto tráfego poderão ser projetados com superfícies duras fáceis de limpar, como azulejos de cerâmica vitrificada e materiais que repelem naturalmente as bactérias para limitar a propagação de germes. "Crise ou não, é sempre uma boa idéia usar superfícies antibacterianas naturalmente, como cobre e latão, e o utensílios de Bambu para manter as casas (e as pessoas) seguras e saudáveis", diz Zimmermann. A tecnologia sem toque em torneiras e campainhas e o aumento da automação residencial também podem ajudar a reduzir os germes em superfícies frequentemente tocadas ao redor da casa.

  1. Mais entretenimento em casa

Semanas de isolamento reforçaram a idéia de que o lar é um espaço seguro e que a lógica provavelmente continuará quando as pessoas começarem a se reunir pessoalmente com a família e os amigos novamente. Quando os restaurantes começarem a abrir os seus salões e a vida começa a parecer mais 'normal' novamente, prevejo que o entretenimento em casa será mais popular do que nunca.  As casas de amigos e familiares são ambientes controlados, tornando-os uma opção convidativa para celebrações e reuniões seguras e confortáveis. À medida que o clima esquenta, churrascos no quintal e reuniões nas varandas oferecem uma maneira relativamente segura de desfrutar da companhia de outras pessoas em um ambiente privado. Segundo o site Valor econômico, por causa da pandemia, morar em uma casa ao invés de um apartamento passou a ser considerado como importante ou muito importante para 44% dos consumidores que desejam comprar um imóvel e para 32% dos que desejam alugar e ainda 70% desejam uma área reservada para o trabalho remoto.

  1. Novos hábitos de compras

À medida que as pessoas pensam mais criticamente sobre a decoração de suas casas, gastar um pouco mais com  móveis de alta qualidade pode ser mais atraente. 

Acho que (e espero) veremos uma mudança no sentido de investir em peças de alta qualidade e alto uso. Ficará para trás os dias de móveis e sofás  que você pode jogar fora em um ano. Embora a satisfação de ir a uma loja ainda seja tão desejada por muitos, as  compras de móveis e utensílios  on-line tem ganhando um grande número de adeptos. Seja de grandes marcas, lojas exclusivamente com vendas on line  ou de comerciantes locais já conhecidos e que estão se adaptando ao novo jeito de vender. 


Independentemente de o coronavírus resultar em alterações permanentes no design de interiores, a pandemia provavelmente nos levará a olhar para nossas casas com novos olhos. Gosto de pensar que esse período aumentou a intimidade que temos com nossas casas. Eu absolutamente acho que as pessoas se tornaram mais atenciosas com suas casas agora que tiveram tempo para realmente experimentá-las de maneira tão intensa. 





Deixe um comentário


Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados